Portugueses produzem vídeo sobre a ameaça da exploração de Petróleo no Algarve

Petroleo Algarve

O fraking é uma das maiores ameaças à natureza local.


A exploração de petróleo no Algarve e a ameaça que isso representa para o ecossistema local é um assunto cada vez mais badalado. Temos acompanhado aqui a luta que a PALP (Plataforma Algarve Livre de Petróleo) tem travado para alertar as pessoas e as entidades responsáveis sobre a situação e agora chega-nos um vídeo que em breves minutos explica detalhadamente todo o processo.

 

Uma explicação rápida, em apenas 3 minutos, e em língua inglesa. A produção ficou a cargo do surfista e empresário João Vilela e do seu sócio na empresa Krypton, Ricardo Estevão. A SURFPortugal esteve à conversa com João Vilela e ficou a perceber o que o levou a avançar para a produção de um vídeo tão elucidativo sobre os problemas que poderão advir se a exploração petrolífera avançar mesmo a sul do país, numa das zonas mais ricas da Europa em termos de turismo natural.

 

"Sou parte interessada neste assunto na medida em que usufruo da Costa Vicentina", começa por dizer João Vilela sobre a motivação que o levou a fazer este vídeo. "Tenho lá uma casa, tenho lá um terreno turístico que quero desenvolver e, mesmo que não tivesse, reconheço que a Costa Vicentina é uma das últimas pérolas que temos em termos de turismo da Natureza, em Portugal e Europa", frisa.

 

João Vilela sublinha a visão paradoxal sobre esta aposta na procura por Petróleo: "Por que é que não se respeita uma zona destas e se prefere o cimento? Estou-me completamente marimbando para os interesses económicos, que são completamente antagónicos em relação ao caminho que se tem tomado em Portugal, com a aposta nas energias renováveis, por exemplo".

 

"Numa altura em que o valor do petróleo está a cair e em que se procurar energias alternativas, não se compreende que se esteja a investir, pelo interesse de meia dúzia de pessoas, numa coisa que nem parece ser sustentável. Isto não é do interesse nacional e se espremermos bem o assunto – até pelos contratos que estão feitos – vemos que isto serve apenas para meia dúzia de empresas", condena.

 

O objetivo da produção é conseguir alertar as pessoas a uma escala global. "O vídeo pretende alertar e tentar acender o rastilho para que alguém com competências inicie uma investigação séria para perceber quem está por trás de um processo, que é um grande contra-senso. Não me parece nada que exista ali petróleo e que isso seja a solução da nossa economia", aponta João Vilela.

 

"Despertar consciências". É essa a grande pretensão deste vídeo. E se estiveram com atenção aos 3 minutos que se seguem vão perceber a gravidade que a exploração de petróleo pode apresentar para um dos maiores tesouros da costa portuguesa. Numa era em que gastamos tanto tempo nas redes sociais e em que parece ser tão fácil partilhar todo o tipo de conteúdos, este é daqueles vídeos que deveria estar no mural de todos os amantes da Costa Vicentina e também da natureza. A não perder!

 



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS