Que se lixe a moda! O Mundo é dos livres e inconformados

Monoquilha vermelha

Pega na monoquilha vermelha e deixa ir na onda...

 

"A tempestade está a chegar". Anuncia o louco. Está a chegar e veio para ficar. Mas enquanto os jovens surfistas brasileiros crescem a olhos vistos como grande potência do surf competitivo mundial, há quem continue, simplesmente, a querer ser livre, desfrutando do surf somente pelo surf.

 

Fazer aquilo que te dá na cabeça, sabem? Ter liberdade, ser inconformado e não ir em moda. Ser diferente. Ter uma monoquinha vermelha, por exemplo. E surfar. Deslizar nas ondas. Deixar os corpo fluir ao sabor do mar. Flamboiando. E sem estarmos minimamente preocupados com as aparências ou imagens pré-concebidas por uma sociedade cada vez mais formatada ao senso-comum.

 

Resumindo, estar-se completamente a lixar para os requisitos que este novo boom do surf e que a indústria "exigem". Estar somente focado na diversão e realização pessoal. Não de outrém. Que se lixe o outrém. Isso mesmo. Que se lixe! Pois, somos livres para dizê-lo. Irreverentes, inconformados e rebeldes. Mas divertidos...

 

É nisso que esta curta metragem brasileira nos faz pensar. Mais uma bela obra dos "génios livres" da Flamboiar. Sabemos como é bem difícil ser independente neste mundo do surf. Estes nossos amigos optaram por ir na sua onda. Sozinhos. Mas, acima de tudo, felizes e realizados. Deve ser duro p'ra caramba conseguir reunir atenção geral quando não se divide o lineup com o main stream...

 

Mas a verdade é que Raphael Tognini e Carolina Bridi têm conseguido levar a sua avante. Recentemente foram distinguidos no SAL – Surf Film At Lisbon. E temos a certeza de que este reconhecimento vale muito mais para eles que qualquer número. Aqueles números que não nos deixam dormir e servem para comparar, medir e hierarquizar tudo o que mexe e respira, ignorando, na grande maioria dos casos, e de forma injusta, a qualidade.

 

Mas, felizmente, ainda há quem resista à força dos números. Quem priviligie a verdadeira qualidade. Quem se preocupe em ser genuíno, livre e, por consequência, feliz. Ainda há quem goste de "avacalhar", como eles dizem. E como o surfista Andrew Serrano nos mostra nesta inspiradora produção de cerca de 5 minutos.

 

Nesta azáfama diária entre números e aquilo que nos é imposto como socialmente aceitável, temos de agradecer à Flamboiar pelos melhores 5 minutos do nosso dia. Por nos ajudarem a perceber que nem todas as ovelhas têm de seguir seu rebanho. E que não são loucas por simplesmente seguirem o seu caminho. Por surfarem a sua onda, mesmo sendo aquela que ninguém quer...

 

A juntar a isto tudo, ainda colocam uma gata bem gostosa no meio da produção. Bem, talvez isto não fosse para dizer. Mesmo perante todo este espírito de libertinagem. Mas... que se lixe! Agora, já está. E o "back space" foi, certamente, um botão inventado pela "polícia" do politicamente correto.

 

Venham as tempestades que vierem, deixem o "avacalhado" curtir a vida à sua maneira. Podem ir na tempestade. Podem, mesmo. Não há mal nisso. Mas deixem o lunático na sua onda. Ele só se quer divertir de forma fluída e natural. Com a sua monoquilha vermelha. Azul, amarela ou verde. Que importa? Ele só se quer divertir. Da maneira mais natural e simples possível... A sua.

 

Um bem-haja aos "avacalhados"!

 



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS