Ginga de outras latitudes nos palcos d'O Sol da Caparica

Sol da Caparica ginga
A música com ligações a África faz parte do universo cultural que O Sol da Caparica tem celebrado desde o primeiro momento. Foto: Gonçalo Silva/Sol da Caparica


Press release - Rui Veloso e os Heróis do Mar nos anos 80, Kussondulola e Cool Hipnoise nos anos 90, Carlão ou até B Fachada no presente: as aproximações da música que se faz em Portugal à música que sempre se fez em África têm sido incontáveis ao longo dos anos. Para que esse estimulante diálogo continue a existir são necessários artistas que inspirem, novas sonoridades que apaixonem públicos, vozes diferentes que tragam outras formas de sentir a língua, culturas com outros sabores, outras latitudes dentro.

 

O Sol da Caparica continua a investir nessa missão e a fazer pontes daquelas que atravessam oceanos e continentes e que unem públicos aos sons cujo balanço é, afinal de contas universal. E em 2016 África tem muitas palavras a dizer no mapa musical do Sol da Caparica, com artistas como Elida Almeida, C4 Pedro ou Nelson Freitas a trazerem novas maneiras de sentir cabo Verde e Angola até ao público que abraça diferentes gerações, mas consegue dançar com o mesmo empenho.

 

Elida Almeida o novo tesouro das ilhas! Uma certeza que urge descobrir

 

Há um ano que Elida Almeida editou o seu mais recente trabalho na Europa, levando depois a sua música a muitos palcos prestigiados do mundo. O público português, entretanto, já lhe conhece bem a voz já que "Nta Konsigui", o primeiro single de Ora Doci Ora Margos, e "Tomam El" foram temas de sua autoria escolhidos para integrar a banda sonora da telenovela A Única Mulher. "Joana" teve mesmo direito a videoclipe realizado por João Botelho no seio do ambiente da sua infância. Elida Almeida ainda está a dar os primeiros passos de uma carreira que certamente será recheada de sucessos, mas é já uma certeza que urge descobrir. No palco do Sol da Caparica vai-se perceber porquê.

 

Nelson Freitas, um embaixador dos novos caminhos. Quebrar barreiras

 

Nelson Freitas tem uma carreira de quase duas décadas, projectada primeira a partir da Holanda e, mais recentemente, graças ao sucesso de "Bô Tem Mel", traduzido em inúmeros concertos: "2014 foi muito importante", explica o cantor, "foi um ano onde aprendi muito. O ano em que fiz mais concertos na minha vida". Em Portugal passou pelo Coliseu dos Recreios e pelo MEO Arena. Em 2015 surgiu "Miúda Linda", o cartão-de-visita ideal para o mais recente trabalho de Nelson Freitas, Four. "Com "Miúda Linda" fui numa direção completamente oposta ao "Bô Tem Mel". Em português, porque me queria desafiar". E há mais: "Break of Dawn", single com Richie Campbell, é um exemplo dessa vontade de aceitar novos desafios. Nelson explica que quer quebrar barreiras e por isso colabora também com gente como Mayra Andrade ou Mikkel Solnado. No Sol da Caparica vamos poder ouvir tudo isso e muito mais. E dançar, pois claro.

 

C4 Pedro uma estrela que transcende fronteiras. Levanta o pé do Chão!

 

C4 Pedro é um nome firme no panteão angolano, que sozinho esgotou importantes salas em Lisboa, sinal claro de uma força que o define como artista. Em Janeiro deste ano anunciou a sua aliança à poderosa Sony Music. Já fruto dessa aliança, "Estragar" com a participação de Agir, tem "estragado" pistas de dança por todo o lado, confirmando a sua popularidade crescente. C4 Pedro vai certamente deixar um mar de gente a dançar na Caparica este ano. Já se pode marcar nas agendas!

 

A Monstra à Solta na Caparica. Arte multimédia contemporânea.

 

A Monstra, que promove todos os anos o festival de cinema de animação com o mesmo nome, volta a garantir que a atenção se foque nos ecrãs gigantes d'O Sol da Caparica entre concertos com uma seleção de 200 filmes incríveis e outras grandes surpresas!de muitos países.

 

Debaixo da Língua: Boss AC é um mestre da palavra

 

Boss Ac fez parte da geração Rapública em 1994, estreou-se a solo em 1998 com o clássico Mandachuva e desde então nunca mais parou, tendo editado mais quatro álbuns, todos com material clássico, todos apostados em usar a língua portuguesa para construir pontes – com o fado, ao lado de Marisa, com o Brasil, ao lado de Gabriel, o Pensador. Recentemente ouvimo-lo, ao lado de Carlão, a perguntar no genérico de um programa da SIC "E Se Fosse Consigo?", voltando, uma vez mais, a usar as palavras para fazer as pessoas pensar. Boss AC será ele também um dos convidados da nova série de conversas Debaixo da Língua.

 

Com o apoio do Sol da Caparica, mais uma edição do Caparica Downwind

 

A juntar todos os tipos de pranchas de São João à Nova Vaga, da praia do Windsurf à praia do Kitesurf!! É já a 4 e 5 de Junho na Costa da Caparica! Esta quinzena é fértil vem aí o Longboard com o Lufi também!


BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS