Joãozinho da Consolação retido desde fevereiro no arquipélago de Kiribati

img 905x6032016 04 28 19 12 10 531807

Joãozinho junto da cadeia onde chegou a estar detido. Foto: D.R. Reuters

 

João Gonçalves, mais conhecido como Joãozinho da Consolação, célebre surfista da zona de Peniche e viajante apaixonado, está retido desde fevereiro na ilha de Kiritimati, no arquipélago de Kiribati. A notícia é avançada esta sexta-feira pela agência Reuters. A agência noticiosa escreve que o surfista português chegou mesmo a estar preso, tendo já saído em liberdade sob fiança.

 

A SURFPortugal contactou uma fonte próxima da família de João Gonçalves, que pormenorizou este episódio insólito. Joãozinho seguia na sua embarcação, na companhia de uma amiga francesa, quando encalhou ao largo destas ilhas, que têm tanto de paradisíacas como de remotas. As autoridades locais terão encontrado uma ínfima porção de erva (0,3 g) e cerca de 15 mil dólares em dinheiro no barco e aí começaram os problemas para João.

 

Segundo a fonte contactada pela SP, Joãozinho da Consolação estava em viagem e havia saído do Taiti para rumar ao Havai, onde pretendia arranjar a embarcação. Contudo, foi surpreendido por uma forte tempestade, típica daquela região, e andou dois dias à deriva, até ir ter à ilha de Kiritimati, onde acabou por encalhar.

 

O dinheiro que tinha em sua posse era parte seu e parte da passageira francesa. No entanto, a quantia ultrapassava o limite que tinha de ser declarado após a entrada naquele país "perdido" no Pacífico. Foi então que o episódio começou a ganhar contornos surreais, uma vez que naquela ilha não existem advogados nem juízes e apenas se realizam dois julgamentos por ano.

 

João Gonçalves está assim desde fevereiro à espera de um juiz e de um advogado para ser submetido ao primeiro interrogatório judicial. O processo tem-se arrastado devido ao facto de os juízes e os advogados terem de vir da capital do país, que fica a mais de 3000 quilómetros, sendo que as condições climatéricas não o têm permitido nas últimas semanas.

 

Só existe um voo por semana a aterrar nesta ilha das Kiribati e, por vezes, as fortes tempestades que se costumam abater na região impedem os voos de serem realizados. Já por via marítima, a viagem para a ilha mais próxima demora cerca de um dia. Problema que justifica o arrastamento da situação.

 

Segundo a notícia da Reuters, Joãozinho da Consolação chegou mesmo a estar preso na cadeia local, mas acabou por ser libertado sob fiança. O português ficou junto aos outros 50 reclusos da prisão, sendo que esta não tinha água potável e há semanas que a comida não chegava lá. Agora, o surfista encontra-se no único hotel da ilha, na companhia da namorada, à espera da chegada de um juiz e de um advogado.

 

A próxima sessão para interrogatório judicial está marcada apenas para junho e só acontecerá se o tempo o permitir. João já pediu transferência para Tarawa, capital das Kiribati, de forma a tentar ser julgado mais rapidamente, mas até agora as autoridades locais ainda não acederam ao pedido. A representação diplomática encontra-se em Camberra, na Austrália, a muitos quilómetros de distância.

 

Apesar de já ter um vasto currículo de viagens e experiências de navegação, certamente que Joãozinho da Consolação nunca tinha vivido um episódio destes. O surfista encontra-se assim retido há cerca de 2 meses nas Kiritimati, esperando que toda esta situação rocambolesca termine da melhor forma.  A SURFPortugal irá continuar a acompanhar esta situação de perto, prometendo novidades para breve.


BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS