Owen Wright espera ondas de 3 metros na West Oz para quebrar a "barreira mental"

Owen Wright

Owen chegou à liderança do World Tour e já tem novos objetivos em mente. Foto: WSL

 

Após o triunfo surpreendente na Gold Coast, Owen Wright já estabeleceu o próximo objetivo no World Tour: colocar-se à prova nas ondas maiores e de consequência, de forma a perceber se já superou o trauma da grave lesão sofrida em Pipeline. O goofy australiano deseja apanhar mar bem grande na próxima etapa, na West OZ, e revela-se desejoso de que o circuito vá até às Fiji e Taiti.

 

"Existem muitos desafios que tenho pela frente e que quero ultrapassar. Voltar a surfar ondas sólidas é um deles. Faz parte do exercício. Queria fazê-lo antes do Quiksilver Pro Gold Coast, mas não foi possível porque não houve muitos swells. Espero que Margaret River nos ofereça ondas de cerca de 3 metros, como é costume, para que possa quebrar essa barreira", frisou o gigante aussie em entrevista ao jornal "Gold Coast Bulletin".

 

Apesar do receio de voltar a enfrentar mar grandes, o atual líder do circuito mundial explica que já não há perigo, apenas um bloqueio mental. "Estou seguro de estar a 100 por cento e de não haver qualquer perigo em termos físicos. Trata-se apenas de um desafio mental", explicou Owen Wright.

 

"Mal posso esperar para voltar a Fiji e Taiti. No entanto, estou um pouco nervoso em relação a Pipeline. Mas sobre as outras duas ondas estou muito ansioso", revelou o surfista de 27 anos, que esteve a temporada de 2016 parado devido à lesão cerebral sofrida em Pipe, chegando-se a pensar que teria mesmo a carreira em risco.

 

Owen Wright relembrou ainda as míticas performances em algumas das mais pesadas ondas do planeta, como Teahupoo, no Taiti, onde em 2015 esteve imbatível. Nesse ano, Wright afirmou-se como o melhor surfista do circuito em ondas de consequência. Contudo... "as pessoas puxam tanto, tanto os limites que a corda acaba por se partir", explicou.


BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS