Os big riders portugueses com entrada nos WSL Big Wave Awards – Fotogaleria

cb33eefb4fc13a463d8216113d756624

Hugo Vau andou muito ativo no palco das maiores sessões do último inverno. Foto: WSL/Vítor Estrelinha

 

Recentemente a WSL anunciou os finalistas das várias categorias dos Big Wave Awards, prémios que distinguem os melhores do ano no palco XXL e que são também conhecidos como os Oscares das Ondas Grandes. Embora a Nazaré esteja presente com três nomeações para a Maior Onda do Ano, Portugal não voltou a ter surfistas entre os finalistas.

 

Foram alguns os big surfers cá do burgo que se candidataram às várias categorias em jogo, mas nem todas elas foram aceites. E mesmo as que foram não tiveram o resultado final desejado. Ainda assim, há que sublinhar o esforço destes portugueses em estarem presentes nas maiores sessões do ano, protagonizando também eles alguns dos momentos mais intensos dessas sessões.

 

O processo dos WSL Big Wave Awards pode tornar-se por vezes confuso. Confundir candidatos com finalistas é o caso mais comum. Mas as candidaturas são tantas que por vezes se tem conhecimento delas muito tempo depois das mesmas terem sido aceites. Para terem noção, só na categoria de Onda do Ano na Remada existem 543 candidaturas. Destas apenas 5 chegaram à final.

 

Na categoria de Ride of the Year existem 145 entradas, sendo que para a Maior Onda do Ano contabilizam-se 278. Já para o Wipeout do ano existem "apenas" 47 candidatos. Para o Tubo do Ano foram 92 as ondas submetidas. Apenas as categorias de Performance do Ano (masculina e feminina) não foram por candidatura. Dá para perceber que foram muitos os surfistas a ficar de fora da tão ambicionada lista de finalistas. Muitos deles são portugueses.

 

Agora, resolvemos analisar a fundo as centenas de entradas que a WSL aceitou na temporada de 2015/16 para perceber exatamente quantos e quais foram os portugueses que fazem parte desta lista. Apesar de não terem chegado a finalistas, fica aqui o reconhecimento pela entrega e coragem demonstradas sempre que o mar extrapola para tamanhos acima do razoável.

 

Na categoria de Wipeout do Ano, apesar de nos lembrarmos de uns bons papéis à lusitana, não existe qualquer candidatura. O mesmo acontece nas categorias de Tube of the Year e Ride of the Year, talvez por o foco português neste momentos estar mais no tamanho do que na qualidade da onda. Sobra assim Maior Onda do Ano e Maior Onda na Remada.

 

Para Maior Onda do Ano foram seis os portugueses a surgirem entre os candidatos, sendo que João Guedes e Hugo Vau conseguiram sê-lo com mais que uma onda de sessões diferentes. A eles juntaram-se Joana Andrade, Sérgio Cosme, João de Macedo e ainda o jovem nortenho António Rodrigues, de apenas 17 anos. Já na Remada foram quatro os eleitos: Hugo Vau, João de Macedo, Nic von Rupp e Alex Botelho. Nicolau e Massas conseguiram distinguir-se em duas sessões distintas, mas o mais ativo foi Alex, que o fez em três ocasiões.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS