Supertubos foi palco de uma festa exclusiva na língua de Camões – Slideshow dinâmico

Portugal AlanvanGysen-0503 copy

Italo Ferreira proporcionou um dos momentos do campeonato e talvez o maior aéreo do ano. Foto: Alan van Gysen

 

Ainda não passaram 24 horas do final da edição de 2015 do Moche Rip Curl Pro Portugal e o desfecho emocionante em Supertubos já pode ser recordado como um dos maiores capítulos da história do surf nacional. Mas também do surf falado na língua de Camões. Às brilhantes prestações dos jovens portugueses Vasco Ribeiro (3.º classificado) e Frederico Morais (5.º) juntaram-se as performances surreais da turma do progresso.


O Brasil dominou o dia final da etapa portuguesa do World Tour, colocando dois dos seus mais jovens surfistas na final. Uma bateria explosiva onde se assistiu a um verdadeiro festival de aéreos. Na disputa aérea foi Filipe Toledo quem levou a melhor, mas Italo Ferreira também não deixou de impressionar pela forma como de apresentou em Peniche. Um final imprevisível e incrível deste Moche Rip Curl Pro, que pode ser agora recordado em imagens.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS