Allianz Sintra Pro: Tarde de surpresas na Praia Grande a caminho dos quartos-de-final

 jacome correia

Açoriano Jácome Correia chegou pela primeira vez à fase man-on-man da Liga Moche. Foto: Pedro Mestre/ANSurfistas

 

O sol e as ondas vieram mesmo para ficar na quarta etapa da Liga Moche. A Praia Grande ofereceu um palco digno do melhor surf nacional, num sábado dedicado exclusivamente à prova masculina e onde ficaram já definidos os quartos-de-final. Entre os oito surfistas apurados para o dia final deste Allianz Sintra Pro destaque para a presença de algumas jovens surpresas.

 

Uma manhã que começou com tubos que acabaram por fazer mossa na definição de alguns dos heats da 2.ª ronda. À tarde foi o surf power a fazer a diferença já na 3.ª ronda. Além das surpresas protagonizadas por Jácome Correia e Dylan Groen, o maior destaque vai para as performances arrebatadoras protagonizadas por Vasco Ribeiro. Foi sempre a subir ao longo do dia, com o tricampeão nacional a mostrar que está de regresso à sua melhor forma.

 

Tomás Fernandes, Guilherme Fonseca e Eduardo Fernandes, campeão em título da etapa da Praia Grande, acabaram por ser as baixas de maior peso logo na 2.ª ronda, onde o nível já esteve bem elevado, proporcionando baterias muito disputadas e equilibradas. Edu acabou por cair num heat vencido por Francisco Alves e onde o outsider foi Elohe Alvarez, surfista brasileiro radicado no norte do país, que começa a dar cada vez mais nas vistas.

 

Com o mar a mudar ligeiramente ao início da tarde, houve ainda tempo para realizar mais quatro baterias e apurar já este sábado os quartos-de-finais. As surpresas continuaram a acontecer e Jácome Correia protagonizou uma das maiores. Depois de vencer o primeiro heat do dia, o jovem açoriano conseguiu qualificar-se pela primeira vez para a fase man-on-man de uma etapa da Liga Moche, num heat vencido por Pedro Henrique e onde Elohe Alvarez e João Kopke ficaram pelo caminho. Foi assim o pretexto ideal para escolhermos o protagonista da nossa habitual flash interview...

 

No heat 2 o campeão nacional Frederico Morais e José Ferreira superiorizaram-se a Xico Alves e João Moreira, sendo que as surpresas regressaram logo no heat seguinte. Numa disputa que se previa bem renhida, Miguel Blanco, que veio com um ritmo impressionante da recente viagem pela Indonésia, saiu vencedor. Fora dos quartos-de-final ficaram Ruben Gonzalez e Filipe Jervis, uma vez que o jovem Dylan Groen encontrou duas esquerdas com bastante potencial e acabou por surpreender a concorrência mais experiente.

 

O ação fechava com um super heat. Após começar o dia com um triunfo e com um score de 15,25 pontos, Vasco Ribeiro elevou novamente a fasquia e abriu a bateria a todo o gás. Rapidamente se colocou na frente e conseguiu um score de 17,20 pontos – o melhor do campeonato. Neste momento, Vasco tem os três melhores scores do evento e ainda as quatro melhores ondas, tendo feito mais um 9 neste heat final. Também em bom nível esteve Tiago Pires, que garantiu o 2.º posto, eliminando Pedro Coelho e Pedro Boonman. Ao final da tarde disputou-se ainda a Renault Expression Session, vencida por Pedro Henrique.

 

Para domingo o call está marcado para as 11H30 e é esperado que o mar suba, assim como o nível do espetáculo. Com as contas do ranking cada vez mais perto da fase de todas as decisões, Pedro Henrique vai jogar uma cartada decisiva frente a José Ferreira logo no heat 1 dos quartos-de-final. O campeão nacional Frederico Morais enfrenta a jovem sensação Jácome Correia. Já Miguel Blanco mede forças com Tiago Pires, enquanto Dylan Groen terá pela frente o imparável Vasco Ribeiro, que se afirmou hoje como o grande favorito ao triunfo na Praia Grande. Veremos se este Allianz Sintra Pro tem mais surpresas guardadas na manga...

 

Flash Interview

 

SURFPortugal - Ainda te lembras do primeiro heat que fizeste na Liga Moche?

 

Jácome Correia – Penso que foi há três anos na Costa de Caparica.

 

SP - A vitória que te deu mais gozo?

 

JC – As Expression Sessions também contam? (risos) Foi a Expression que venci há dois anos no Algarve, na Praia do Amado. Com um layback.

 

SP - Uma paragem que acrescentarias à Liga Moche?

 

JC – Açores. Em São Miguel, nos Areais de Santa Bárbara.

 

SP - Qual a maior personagem da Liga?

 

JC – Tiago Pires.

 

SP - Qual seria a tua final de sonho?

 

JC – Com o João Moreira, nos Areais de Santa Bárbara.

 

SP - Qual a glória do surf nacional que gostarias de enfrentar num heat?

 

JC – O Tiago Pires. Já o enfrentei, mas é sempre aquela referência.

 

SP - Qual a rapariga com quem não te querias cruzar num heat?

 

JC – A Teresa [Bonvalot].

 

SP - Que hábito/superstição que tens na véspera da Liga Moche?

 

JC – Não tenho... A não ser gostar de ir de barriga cheia para dentro de água.

 

SP - Que surfista internacional te faz ficar acordado de madrugada?

 

JC – John John Florence.

 

SP - O que significa para ti um pequeno-almoço de campeões?

 

JC – Não tenho grandes rotinas de pequeno-almoço. Antes das provas, geralmente, como o que há no hotel.

 

SP - Qual a música que te dá mais pica para entrar na água?

 

JC – Ouço de tudo. Não há nada em específico.

 

SP - Qual a manobra inovadora que tens andado a treinar mais nos últimos tempos?

 

JC – Os aéreos. Ultimamente tenho andado a tentar o alley-oop. Nunca consegui aterrar um.

 

SP - Imagina que ias numa viagem de sonho para as Maldivas e só podias levar um objeto que não estivesse relacionado com o surf. Qual levarias?

 

JC – Telemóvel.

 

SP - E que dois surfistas escolhias para ir contigo?

 

JC – O meu pai e o meu irmão.

 

SP - Programa ideal sem a prancha de surf?

 

JC – Estar com a família e com as pessoas que mais gosto.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS