Liga Moche: Gony Zubizarreta e Camilla Kemp conquistam o Allianz Ericeira Pro by Dakine

Gony

Gony apresentou o melhor surf do evento e a vitória acabou por surgir naturalmente. Foto: Pedro Mestre/Liga Moche

 

Gony Zubizarreta e Camilla Kemp foram os grandes vencedores da etapa inaugural da Liga Moche 2016. O Allianz Ericeira Pro by Dakine terminou este domingo, com condições bem apetecíveis em Ribeira d'Ilhas. O galego que reside na Ericeira elevou ainda mais o nível neste dia final, afirmando-se indubitavelmente como o melhor surfista deste campeonato e batendo os principais candidatos ao título nacional para conquistar uma etapa da Liga Moche pela primeira vez na carreira. Já na prova feminina, Camilla Kemp também superou uma forte concorrência para assegurar uma vitória robusta e completamente justa.

 

A ação começou bem cedo em Ribeira, com o primeiro heat a começar por volta das 7H30. E foi um pronuncio para aquilo que se iria passar durante toda a manhã. Gony começou logo por eliminar com bastante facilidade o jovem Guilherme Fonseca, uma das boas surpresas do evento. Com um score de 16 pontos, o galego que vive na Ericeira conseguiu adquirir um bom andamento para o duelo nas meias-finais com Tiago Pires, que havia vencido um heat bem renhido e com uma ponta final emocionante frente a Marlon Lipke.

 

A outra semifinal colocou frente-a-frente Pedro Henrique e o tricampeão nacional Vasco Ribeiro. Vasco começou o dia por eliminar José Ferreira, numa disputa praticamente de sentido único, em que Zé apenas conseguiu responder já bem perto do final. Por sua vez, Pedrinho venceu Tomás Fernandes num heat pouco emocionante, onde as ondas pouco colaboraram, acabando com os scores mais baixos da ronda.

 

Entretanto, nas meias-finais femininas a local Carina Duarte começou com um triunfo robusto e fácil frente a Carol Henrique, mostrando que ainda consegue atingir o nível que a colocou durante vários anos no topo do surf nacional e que lhe rendeu dois títulos. Carina marcava assim duelo na final com Camilla Kemp, que superou a bicampeã nacional em título Teresa Bonvalot. Com uma lesão no tornozelo, Teresa pouco conseguiu fazer para contrariar o domínio imposto pela adversária, arrancando assim a defesa do título com um 3.º posto.

 

Reedições

 

Chegava a hora dos grandes duelos e na primeira meia-final a praia aguarda com muito interesse a disputa entre Gony e Saca. O galego manteve a toada imposta ao longo de todo o campeonato e nas primeiras disputas, que foram bem acesas, conseguiu sair por cima do português. Saca não baixou os braços e tentou responder, mas ainda se notava no seu surf a influência da lesão sofrida recentemente. Até final a situação já não se alterou o foi mesmo Zubizarreta a seguir em frente para a final, repetindo a vitória alcançada sobre Tiago neste mesmo palco, no longínquo ano de 2010, nos quartos-de-final do Quiksilver Pro Portugal, em que chegou mesmo à final.

 

Na segunda meia-final Pedro Henrique começou mais forte, com algumas boas rasgadas de backside nas direitas de Ribeira e pressionou Vasco. Contudo, já é sabido que o jovem surfista da Poça funciona melhor ainda sob pressão e na segunda metade do heat disparou um ataque letal, assegurando a segunda vaga para a final deste Allianz Ericeira Pro by Dakine por apenas 75 centésimos.

 

Enquanto todos esperavam pela reedição da final do TVI Cascais Pro 2012, que se realizou no Guincho há praticamente 4 anos, foram as raparigas a assumir o palco principal deste mítico salão de festas do surf nacional. A competir em casa, Carina procurava repetir as vitórias que aqui alcançou em 2014 e 2013. Contudo, Camilla Kemp tinha outros planos e começou logo muito forte, com uma boa escolha de ondas e depois aplicando o seu surf power nas belas paredes que lhe surgiam pela frente. Com um score de 12,25 pontos contra apenas 8,1 da rival, Camilla acabou por suceder a Teresa Bonvalot e garantir o seu primeiro triunfo em Ribeira d'Ilhas para a Liga Moche.

 

Chegava então a hora da final masculina. A praia enchia-se para o grande duelo, mas certamente que ninguém estava mais feliz entre o público que o shaper Nick Uricchio, uma vez que é ele quem faz as pranchas de Gony e Vasco. O surfista galego não perdeu tempo e assim que a buzina tocou assegurou uma onda que surfou forte e com um jogo de rail bem afinado, desde o outisde até ao inside. Os juízes premiaram-no com um 9,50 e Vasco Ribeiro ficava desde cedo a correr atrás do prejuízo.

 

Sem conseguir encontrar ondas com potencial elevado, Vasco começava a arriscar manobras mais progressivas, mas sem conseguir efetuá-las com sucesso. Aos pouco, Gony Zubizarreta iam aumentando o seu backup e elevando o requisito de Vasco. Foi já perto do final do heat que o português conseguiu três manobras fortes no outisde para reentrar na luta com um 8,50. No entanto, Gony decidiu acabar com o suspense e colocar o último prego no caixão do rival, ao encontrar uma daquelas raras no inside e a surfar exemplarmente até mesmo às rochas. Saiu um 9,90, com dois juízes a darem mesmo o 10, e estava assim encontrado o vencedor final.

 

Foi um desfecho dourado deste Allianz Ericeira Pro by Dakine, com aquela que foi a melhor onda de todo o campeonato. Gony Zubizarreta conseguia assim a sua primeira vitória – e bem merecida! - no principal circuito nacional, podendo dizer-se que o triunfo ficou em casa. Vasco Ribeira não conseguiu assim repetir o triunfo da última final entre ambos e acabou por se mostrar frustrado com o resultado final. Contudo, é ele que sai da Ericeira melhor colocado na luta pelo título nacional masculino. Melhor só mesmo Camilla Kemp no lado feminino. A Liga Moche regressa já dentro de três semanas, na Costa de Caparica.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS