Campeonato de Pantín sobe de categoria para QS6000

124bace7b6b92a3283a8dc5c65a5f39f

Ondas galegas vão receber a nata do WQS. Foto: WSL


Boas notícias para o surf espanhol e, acima de tudo, para os surfistas europeus. A Galiza vai receber este ano um QS6000. Tudo porque a graduação do Pantin Classic Galicia Pro foi aumentada de forma notória. Depois de ter sido um QS1500 no ano passado, desta vez Pantín vai receber uma das provas mais pontuadas do calendário.

 

Assim, a mítica praia galega vai receber a nata do WQS numa altura em que o circuito se encontra de passagem pela Europa. Com data marcada de 30 de agosto a 4 de setembro, o Pantin Classic serve também de antecâmara para o Azores Pro, que arranca a 6 de setembro e este ano também vai ser um QS6000.

 

A prova feminina em Pantín já possuía estatuto de QS6000, pelo que em 2016 tanto homens como mulheres vão lutar pela mesma quantia de pontos. Se em anos anteriores este já era um destino de preferência para muitos competidores portugueses, este ano isso vai ser ainda mais evidente. Contudo, o aumento de graduação abre apenas espaço aos melhores do ranking, sendo difícil a surfistas fora do top 300 conseguirem entrada.

 

O brasileiro Thiago Camarão é o campeão em título deste evento, mas há um surfista português que já colocou o nome entre a lista de vencedores. Marlon Lipke venceu este campeonato em 2012, quando era um 3 estrelas. Registo ainda para a final alcançada por José Ferreira no ano seguinte, destacando-se com o melhor surf ao longo de todo o campeonato.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS