John John Florence conquista o Oi Rio Pro após final inusitada e sem brasileiros

e4425f3f45b5caf711c4ff59dbf463de

John John mostrou as suas credenciais em todo o tipo de condições no Postinho. Foto: WSL

 

John John Florence regressou esta quinta-feira aos triunfos nos World Tour, depois de vencer o Oi Rio Pro com autoridade. O talentoso surfista havaiano adaptou-se de forma exímia às condições pesadas do dia final no Postinho da Barra da Tijuca e acabou por superar a toda a concorrência com uma verdadeira lição de surf progressivo e power, afirmando-se como o mais completo dentro de água.

 

Após passar o ano de 2015 a seco, John John voltou assim aos triunfos. A última conquista no Tour havia sido em França, no outono de 2014. Florence repetiu ainda a vitórias nas ondas brasileiras, onde se havia estreado a ganhar entre a elite mundial, em 2012. Com este resultado, John John Florence reentra na luta pelo título mundial, subindo ao 3.º posto de um ranking cada vez mais baralhado.

 

Deceção brasileira

 

Ontem, à entrada para a 4.ª ronda, estavam seis surfistas brasileiros entre os 12 ainda em prova. As eliminações começaram a ganhar um ritmo maior ao final do dia, ficando ainda três surfistas canarinhos qualificados para os quartos-de-final. Mas com Adriano de Souza e um super Gabriel Medina poucos duvidariam de que o campeão do Oi Rio Pro seria brasileiro. E os quartos-de-final confirmaram isso mesmo...

 

Adriano de Souza teve de se aplicar para eliminar o rookie australiano Davey Cathels e marcava encontro com John John nas meias-finais, após este ter vencido o duelo havaiano com Dusty Payne. Miguel Pupo acabou por ser a primeira baixa brasileira, mas logo de seguida Gabriel Medina voltava à forma que havia mostrado na véspera. O campeão mundial de 2014 deixou o australiano Adam Melling em combinação e já estava a menos um paço do destino que todos lhe traçavam.

 

Contudo, o anticlímax apareceria na final. Primeiro foi Adriano a baquear contra John John. O havaiano estava super focado e conseguia transformar close-outs nos melhores tubos do dia. Juntando isso a um surf de rail afiado e comprometido, o resultado foi uma combinação à antiga. O campeão mundial em título não teve maneira de responder e estava afastada a possibilidade de uma final 100 por cento brasileira, entre os dois últimos campeões mundiais. Mas faltava Medina...

 

O prodígio brasileiro estava endiabrado e abriu com uma rotação completa de backside, onde mostrou tanta facilidade quanto os seus colegas de Tour mostram a dar um simples reverse. O assunto parecia encaminhado, mas Medina demorou a melhorar o backup e Jack Freestone conseguiu reentrar na discussão. Com a sua receita de uma primeira passagem no lip mais batida power na junção, o rookie australiano conseguiu operar uma reviravolta sensacional e inesperada. A final menos esperada acontecia. Para deceção da torcida brasileira.

 

Com a arma do adversário

 

Com um campeonato marcado pelos aéreos surreais de Medina e companhia e com um dia final a arrancar ao ritmo dos tubos surgidos do nada de John John, a receita do sucesso acabou por ser os fortes ataques às pesadas junções do Postinho. Mas se havia sido Freestone a aplicar essa combinação de melhor forma ao longo do evento, o havaiano conseguiu contrariar o adversário com o seu próprio veneno.

 

Florence teve um arranque de final impiedoso, sempre a subir, onda após onda. A meio do heat soltou as quilhas e aumentou ainda mais os requisitos e Freestone. Com um 9,70 e um 9,27 a final parecia decidida. O australiano nunca mais saiu de combinação, mesmo tendo feito um heat de grande nível, acabando com 16,13 pontos. Os últimos minutos serviram para John John praticar o "free surf" que nunca mostrou ao longo do evento e também para iniciar os festejos. John está mesmo num novo paradigma, mais focado e mais comprometido com a competição. E agora vêm aí as etapas do Pacífico, onde se sente praticamente em casa...

 

"Adoro regressar ao Rio", começou por dizer John John, numa frase em contraste com a opinião de alguns dos seus colegas de Tour que fizeram de tudo para não estar presentes. "Foi aqui que ganhei a minha primeira etapa do Tour e o power das ondas torna este sítio idêntico ao Havai", frisou, antes de garantir que o objetivo passa por ser campeão mundial, mas que neste momento só pretende pensar "heat a heat".

 

Futuro incerto

 

Se a etapa brasileira do Tour começou envolta em muita polémica, o desfecho não ajudou a mudar o cenário. Primeiro foi a poluição, as desistências e a qualidade das ondas. Agora, foi novamente o mar. As condições não foram propriamente as melhores ao longo do evento e a ação avançou a um ritmo lento e, por vezes, desinteressante, salvo um ou outro malabarismo de Medina. Para piorar, no(s) dia(s) final a chuva marcou presença, afastando o número estratosférico de público que invadiu o Rio no ano passado. Será mesmo que o Rio vai continuar a receber o Tour em 2017?

 

O Oi Rio Pro acabou por se "salvar" nas duas últimas horas de prova. Mas não foi pelas ondas. Antes pela qualidade dos intervenientes. Com Adriano, John John e Medina entre os semifinalistas, o espetáculo acaba sempre por ser garantido. No entanto, imaginem estes três monstros a competir em ondas de sonho. Os scores foram elevados, sim. Mas foram porque era difícil fazer melhor naquelas condições.

 

Ainda assim, mesmo sendo um desfecho pouco do agrado da torcida brasileira, o campeão acabou por ser muito menos surpreendente do que nas etapas anteriores de um Tour que parecia destinado a não ter lógica. Agora, o paradigma voltou a mudar. Mesmo com uma derrota de primeira, Wilko sai do Brasil confortavelmente na liderança. Seguem-se Italo Ferreira e John John Florence, como maiores ameaças. E os outros grandes nomes também já começam a chegar-se à frente. Enfim, a normalidade.

 

Oi Rio Pro Men’s Final Results:
1 -
John John Florence (HAW) 18.97
2 - Jack Freestone (AUS) 16.13

 

Oi Rio Pro Men’s Semifinal Results:
SF 1:
John John Florence (HAW) 18.73 def. Adriano de Souza (BRA) 12.66
SF 2: Jack Freestone (AUS) 16.50 def. Gabriel Medina (BRA) 14.67

 

Oi Rio Pro Men’s Quarterfinal Results:
QF 1:
John John Florence (HAW) 15.17 def. Dusty Payne (HAW) 8.50
QF 2: Adriano de Souza (BRA) 12.97 def. Davey Cathels (AUS) 10.00
QF 3: Jack Freestone (AUS) 12.50 def. Miguel Pupo (BRA) 11.60
QF 4: Gabriel Medina (BRA) 15.77 def. Adam Melling (AUS) 6.00

 

Oi Rio Pro Men’s Remaining Round 5 Results:
Heat 4:
Adam Melling (AUS) 10.80 def. Michel Bourez (PYF) 10.00

 

2016 Samsung Galaxy Top 5 (after Oi Rio Pro):

  1. 1. Matt Wilkinson (AUS) 24,500 pts
  2. 2. Italo Ferreira (BRA) 18,750 pts
  3. 3. John John Florence (HAW) 18,700 pts
  4. 4. Sebastian Zietz (HAW) 17,500 pts

5. Caio Ibelli (BRA) 17,200 pts



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS