Toledo limpa a concorrência em Haleiwa; Mais três confirmados na elite em 2018

694bf7e1ab547e599014ef30bc9aa866

Neste tipo de condições Toledo mostrou, mais uma vez, que é imbatível. Foto: WSL

 

Filipe Toledo foi o grande vencedor do Hawaiian Pro, QS10000 que terminou na madrugada desta terça-feira. O talentoso surfista brasileiro beneficiou das condições de Haleiwa, longe de estarem grandes e pesadas como é habitual, para levar a melhor que a concorrência, alcançando a primeira vitória da carreira no Havai. Toledo fica assim na liderança da Triple Crown, embora não vá marcar presença no próximo evento, que começa domingo em Sunset Beach.

 

A correr esta primeira etapa da Triple Crown havaiana apenas para manter o ritmo, Toledo acabou por superar toda a concorrência num dia final animado e de muitas decisões no que diz respeito à qualificação para o WCT 2018, com mais quatro caras novas já confirmadas. Toledo melhorou o segundo lugar conquistado precisamente em Haleiwa em 2015, ano em que o mar também ficou aquém do esperado.

 

A final da prova havaiana Fiilipe Toledo somou 16,54 pontos, batendo o jovem norte-americano Griffin Colapinto (15,94), que com este resultado garantiu uma vaga entre a elite mundial no próximo ano, o compatriota Wiggolly Dantas (13,03), que mantém-se na luta pela requalificação pelas duas vias, e ainda o taitiano Michel Bourez (8,77), que já havia vencido este evento em duas ocasiões.

 

O dia final havia começado logo com a eliminação de Frederico Morais no heat 3 da 4.ª ronda. O surfista português não conseguiu repetir a final do ano passado, terminando no 25.º posto, depois de uma bateria onde John John Florence foi o mais forte, com Miguel Pupo a seguir também em frente. Kikas melhorou a pontuação no ranking WQS, mas acabou por cair para 15.º.

 

Nas rondas seguintes assistiu-se a algumas surpresas, como a eliminação de John John nos quartos-de-final, ele que era o campeão em título em Haleiwa, e a eliminação de Jordy Smith nas meias-finais. Pelo meio, Willian Cardoso, Tomas Hermes e Griffin Colapinto juntaram-se a Yago Dora e Jesse Mendes como novos integrantes da elite mundial para 2018. Isso mesmo, mais quatro brasileiros no Tour.

 

Com o novo cenário do ranking, as contas ficam ainda em aberto para Vasco Ribeiro. Ao campeão nacional interessa apenas vencer em Sunset Beach, na segunda prova da Triple Crown, ficando ainda à espera do resultado de terceiros. Há ainda cinco vagas em aberto, dependendo depois dos resultados da última etapa do World Tour, em Pipeline. Mas muita coisa ainda estará em jogo na Vans World Cup of Surfing.

Toledo limpa a concorrência em Haleiwa; Mais três confirmados na elite em 2018

 

Filipe Toledo foi o grande vencedor do Hawaiian Pro, QS10000 que terminou na madrugada desta terça-feira. O talentoso surfista brasileiro beneficiou das condições de Haleiwa, longe de estarem grandes e pesadas como é habitual, para levar a melhor que a concorrência, alcançando a primeira vitória da carreira no Havai. Toledo fica assim na liderança da Triple Crown, embora não vá marcar presença no próximo evento, que começa domingo em Sunset Beach.

A correr esta primeira etapa da Triple Crown havaiana apenas para manter o ritmo, Toledo acabou por superar toda a concorrência num dia final animado e de muitas decisões no que diz respeito à qualificação para o WCT 2018, com mais quatro caras novas já confirmadas. Toledo melhorou o segundo lugar conquistado precisamente em Haleiwa em 2015, ano em que o mar também ficou aquém do esperado.

A final da prova havaiana Fiilipe Toledo somou 16,54 pontos, batendo o jovem norte-americano Griffin Colapinto (15,94), que com este resultado garantiu uma vaga entre a elite mundial no próximo ano, o compatriota Wiggolly Dantas (13,03), que mantém-se na luta pela requalificação pelas duas vias, e ainda o taitiano Michel Bourez (8,77), que já havia vencido este evento em duas ocasiões.

O dia final havia começado logo com a eliminação de Frederico Morais no heat 3 da 4.ª ronda. O surfista português não conseguiu repetir a final do ano passado, terminando no 25.º posto, depois de uma bateria onde John John Florence foi o mais forte, com Miguel Pupo a seguir também em frente. Kikas melhorou a pontuação no ranking WQS, mas acabou por cair para 15.º.

Nas rondas seguintes assistiu-se a algumas surpresas, como a eliminação de John John nos quartos-de-final, ele que era o campeão em título em Haleiwa, e a eliminação de Jordy Smith nas meias-finais. Pelo meio, Willian Cardoso, Tomas Hermes e Griffin Colapinto juntaram-se a Yago Dora e Jesse Mendes como novos integrantes da elite mundial para 2018. Isso mesmo, mais quatro brasileiros no Tour.

Com o novo cenário do ranking, as contas ficam ainda em aberto para Vasco Ribeiro. Ao campeão nacional interessa apenas vencer em Sunset Beach, na segunda prova da Triple Crown, ficando ainda à espera do resultado de terceiros. Há ainda cinco vagas em aberto, dependendo depois dos resultados da última etapa do World Tour, em Pipeline. Mas muita coisa ainda estará em jogo na Vans World Cup of Surfing.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS