Kikas estreia-se em grande no Hawaiian Pro; Vasco Ribeiro fica pelo caminho

1fe2b0419699e0e8ab3782620e4b0dcf
Frederico mostrou a razão de ter sido finalista vencido no ano passado em Haleiwa. Foto: WSL/Heff


Após alguns dias sem competição, a ação regressou este domingo a Haleiwa, num dia em que ficou marcado pela estreia positiva de Frederico Morais, mas também pela eliminação de Vasco Ribeiro na terceira ronda do Hawaiian Pro, o primeiro evento da famosa Triple Crown havaiana e, igualmente, penúltimo QS10000 da temporada.

 

Tudo começou da melhor forma para as cores nacionais, com Kikas a estrear-se de forma imponente num campeonato em que defende o estatuto de vice-campeão. O surfista de Cascais venceu o heat 6, depois de somar 13,84 pontos, contra 11,47 de Yago Dora, que também seguiu em frente, estando cada vez mais confirmado no Tour do próximo ano.

 

Pelo caminho ficaram dois ex-tops do WCT: o australiano Dion Atkinson (11,40) e o havaiano Dusty Payne (5,97), que hipotecou assim as possibilidades de repetir a Cinderella Story protagonizada há dois anos, com uma qualificação inesperada e que se deveu praticamente à prestação na perna havaiana do WQS. Frederico, que ocupa atualmente o 13.º posto do ranking WQS, garantiu já uma melhoria da pontuação, estando perto de entrar no top 10 e lutar pela double qualification – valendo isso o que vale...

 

Mais tarde, Vasco Ribeiro não teve a mesma sorte e ficou pelo caminho. O campeão nacional em título conseguiu apenas 5,80 pontos no heat 11, ficando a faltar um backup para lutar pela passagem à próxima ronda. A bateria foi vencida pelo brasileiro Willian Cardoso (13,47), que garantiu a qualificação para o WCT do próximo ano, com o havaiano Sebastian Zietz (12,17) a também seguir em frente – pelo caminho ficou ainda o norte-americano Cam Richards (8,20).

 

Depois de ter ultrapassado a segunda ronda, Vasco acabou por despedir-se ingloriamente do evento de Haleiwa, complicando as contas do final do ano. Ainda assim, o campeão nacional ainda mantém ténues esperanças. Tudo depende do desfecho deste Hawaiian Pro, mas é provável que o cut não aumente muito, pois alguns dos surfistas do top 10 também já foram eliminados. Ainda assim, Vasco Ribeiro vai para Sunset a precisar praticamente de vencer o campeonato, ficando ainda dependente de terceiros.

 

Esta segunda-feira a ação deverá voltar a Haleiwa, com Kikas a ser o resistente da armada lusa. Frederico está já entre os melhores 32 surfistas e vai reencontrar John John Florence no heat 3 da quarta ronda, podendo fazer a desforra da final perdida – na realidade, terminou empatada – no último ano. Os brasileiros Victor Bernardo e Miguel Pupo vão ser os outros protagonistas da bateria, onde está em jogo a passagem dos quartos-de-final.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS