Jorgann Couzinet surpreende e Coco Ho confirma momento no QS6000 de Pantín

fe8708ea5dca6e321e3782bfa8441a52

Foi com maboras destas que o jovem francês se colocou perto do WCT. Foto: WSL/Masurel

 

Terminou este domingo o Pull&Bear Pantin Classic Galicia Pro, QS6000 que foi vencido pela havaiana Coco Ho e pelo francês Jorgann Couzinet. Se no caso feminino o triunfo de Ho acaba por ser a confirmação do excelente momento de forma que atravessa, no caso de Couzinet não deixa de ser uma surpresa, que coloca o jovem gaulês nos primeiros postos do ranking.

 

A organização optou por coroar a campeã feminina no sábado, isto já depois de a última representante portuguesa em prova, Carol Henrique, já ter sido eliminada, na 2.ª ronda. A partir daí foram as surfistas mais experientes, sobretudo as do WWT a dar nas vistas. Com exceção de um nome: Caroline Marks.

 

Já tínhamos avisado que a jovem prodígio norte-americana, de apenas 15 anos, andava a dar cada vez mais nas vistas. Este fim-de-semana garantiu mesmo a chegada à final em Pantín e também a subida ao 3.º lugar do ranking. Ou seja, muito provavelmente, a surfista natural da Florida está já garantida no circuito mundial feminino de 2018. Aos 15 anos. Leu bem...

 

E Marks só não parou no lugar mais alto do pódio porque na final foi travada por Coco Ho, depois de um heat de sentido único, onde a havaiana somou 16,50 pontos contra 11,17 da adversária. Após vencer em Anglet, Coco Ho repetiu mais um êxito nas ondas europeias, ela que já vinha de um terceiro lugar na última etapa do WWT, na Califórnia, subindo ao 7.º posto do ranking e ficando dentro da luta pela requalificação.

 

As finais da prova masculina ficaram adiadas para domingo, com a armada brasileira a dar espetáculo, mas com Jorgann Couzinet a levar a melhor sobre tudo e todos. O francês bateu Tomas Hermes nos oitavos-de-final, o australiano e top do WCT Josh Kerr nos quartos-de-final e o havaiano Keanu Asing nas meias-finais, marcando encontro na final com o brasileiro Michael Rodrigues, que vinha de um triunfo frente ao cada vez mais líder do ranking - e cada vez mais confirmado no World Tour 2018 - Jesse Mendes.

 

Apesar de a melhor nota da final ter sido de Rodrigues, com um 9,03, o triunfo foi mesmo de Couzinet, que somou 16,60 pontos. Com os 6 mil pontos conquistados subiu ao 7.º posto do ranking e ficou mais perto de conseguir o sonho de se qualificar para o World Tour do próximo ano. Tal como Michael Rodrigues, que subiu ao 12.º posto. O melhor português no ranking é Vasco Ribeiro, que desceu ao 24.º posto.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS