Frederico Morais vence "mata-mata" com Ian Gouveia e está na 3.ª ronda em J-Bay

 6e59f511153a791fd3c0873895e05728

Kikas desenhou linhas de pura classe em Jeffreys Bay. Foto: WSL

 

Primeiro com algum nervosismo à mistura e depois com muita classe pelo meio, confirmando ser um surfista talhado para este tipo de ondas, Frederico Morais assegurou esta segunda-feira um importantíssimo triunfo rumo à 3.ª ronda do J-Bay Open, a sexta etapa do World Tour 2017 e talvez aquela onde terá mais espaço para brilhar com o seu surf letal e poderoso de frontside.

 

Esta foi uma vitória com contornos decisivos, digna de "mata-mata", como dizia o antigo selecionador de futebol Luiz Felipe Scolari, até porque foi contra um conterrâneo dele. Apesar de um começou mais forte de Ian Gouveia, que soube escolher melhor as ondas, Kikas soube dar a volta ao texto, eliminando o nervosismo inicial e fazendo prevalecer a vantagem de ser regular na mágica direita sul-africana.

 

Frente a outro rookie como ele, Kikas conseguiu vencer mais um daqueles heats que podem definir muita coisa no final da temporada, algo em que o português tem mostrado eficácia nesta temporada de estreia na elite mundial. Com 15,73 pontos e um heat em crescendo, o surfista de Cascais superou os 14 pontos do rival brasileiro, que fez de tudo para complicar a vida a Frederico.

 

Depois de uma ronda de estreia em que mostrou um surf de alto nível, mas que falhou por pouco a passagem, perdendo para Adriano de Souza, mesmo depois de ter a melhor onda da disputa, Frederico Morais foi obrigado a competir na pressão de repescagem, ainda para mais no último heat de todos, depois de já ter assistido a notas 10, como a de Toledo, altas ondas, grandes tubos e eliminações surpresa. Mas, como sempre, não acusou a pressão e somou mais uns pontinhos.

 

Agora, na terceira ronda em Jeffreys Bay segue-se o australiano Connor O'Leary, o único rookie que este ano está a ter melhor prestação que Kikas, ou seja, o grande adversário do português na luta por rookie do ano – embora o aussie tenha uma vantagem considerável. Será assim mais um "mata-mata", onde teremos que colocar o português como favorita, fruto do surf de rail poderoso que tem mostrado.

 

Se acertar na escolha de ondas e tiver a calma para atacar o adversário no momento certo, veremos até onde Frederico poderá levar a bandeira portuguesa, num campeonato que está a prometer muita qualidade até final. E nem a presença de John John Florence, que arrancou o campeonato com um score brutal, no lado do quadro onde está Kikas mete medo.

 

Tudo é possível a partir de agora. Com exceção da vitória de Slater, pois esse virou o assunto do dia mesmo sem competir. O 11 vezes campeão mundial até tinha vencido na primeira ronda. Aproveitou a folga para ir para o free surf e acabou por dois dedos de um dos pés fraturados fruto de um tubo traiçoeiro. Está fora da etapa e da água durante seis semanas. É o fim do sonho do título. Será também o da carreira?



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS