Bicampeã! Teresa Bonvalot revalida título europeu júnior em Espinho

1fb8a66e4ee5be40ee055ab8cfe901dd

Teresa provou novamente o sabor da glória. Foto: WSL

 

Como não há uma sem duas, Teresa Bonvalot carimbou este domingo o título de bicampeã europeia júnior, após o triunfo no Junior Pro Espinho. A jovem surfista da Linha alcançou o feito pelo segundo ano consecutivo, sendo que em 2017 o fez de forma antecipada, mostrando-se sempre um nível acima da concorrência.

 

Depois de ter alcançado um 3.º posto na etapa inaugural em Biscarroise, em França, e de ter vencido na Caparica, Teresa repetiu o triunfo alcançado no passado em Espinho e assegurou a vitória no circuito, mesmo faltando ainda disputar-se a etapa final, em Sopelana, no País Basco.

 

Na final da prova nortenha, não deu qualquer hipótese à concorrência, somando 13,56 pontos e deixando a britânica Ellie Turner, a taitiano Vahine Fierro e a francesa Juliette Lacome nos postos seguintes. O reflexo natural do facto da jovem prodígio do surf português estar já muito à frente em termos de andamento e nível em relação às rivais.

 

Mas não foi só Teresa a estar em destaque em Espinho, uma vez que Francisca Veselko e Mafalda Lopes falharam a final por muito pouco, terminando ambas no 5.º posto. Resultado que as coloca ainda matematicamente na luta pelo 2.º posto do ranking e por uma qualificação para o Mundial de juniores do próximo ano, onde Teresa já está garantida.

 

Para já, Mafalda parte para a etapa final no 5.º posto do ranking e Kika no 9.º, embora apenas tenha realizado duas etapas. Números que refletem o enorme momento por que passa o surf feminino nacional e também a influência positiva que Teresa tem sido para as jovens que começam a seguir as suas pisadas a nível internacional.

 

“Estou muito satisfeita com a minha prestação e com o resultado. Eu sabia que tinha hipóteses de rematar aqui a minha carreira júnior na Europa, mas tive de me concentrar bastante, porque a concorrência era forte. Hoje as ondas estavam ótimas e isso também ajudou. Agora, vou concentrar-me no mundial júnior, na Austrália e treinar para tentar conquistar também esse título. Espinho vai ficar para sempre no meu coração, pois foi aqui que conquistei dois títulos importantes. Embora não possa voltar para competir nos juniores, voltarei certamente para apoiar e competir em qualquer outro evento que aqui se realize”, afirmou feliz a vencedora, que conseguiu a proeza de surfar apenas duas ondas em toda a final – as duas melhores e as que mais peso tiveram na bateria.

 

Na prova masculina as coisas não correram de forma tão perfeita para a armada lusa, mas há a destacar o 5.º posto do pequeno Afonso Antunes, que ficou a um curto passo de chegar à final. Com este resultado, o melhor em 2017, Afonso subiu ao 11.º posto do ranking, onde é o melhor português, seguido de João Moreira em 13.º e Guilherme Ribeiro em 18.º. O filho do ex-campeão nacional João Antunes ainda tem hipóteses matemáticas de chegar ao top 3 do ranking.

 

O francês Marco Mignot acabou por ser o grande vencedor em Espinho, após bater os compatriotas Erwan Blouin, Leo Paul Etienne e Tiago Carrique na final, subindo à liderança do ranking júnior europeu e indo para a última etapa na disputa com apenas mais dois adversários: o taitiano Kauli Vaast, anterior líder, e o compatriota Theo Julitte. Agora, tudo ficará decidido Sopelana.

 



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS