Yago Dora e Johanne Defay conquistam QS6000 de Newcastle; Carol Henrique no 9.º posto

Dora copy copy

Dora levou o free surf à competição e deu festival de surf progressivo. Foto: WSL

 

Terminou na madrugada deste domingo o primeiro grande evento do WQS em 2017, com o brasileiro Yago Dora e a francesa Johanne Defay a conquistarem os títulos em Newcastle. Uma prova que deu boas indicações para o arranque da temporada e onde a armada lusa esteve em destaque, com o 9.º posto final alcançado por Carol Henrique na prova feminina.

 

A campeã nacional conseguiu-se bater com as melhores surfistas do Mundo, acabando por ser eliminada da prova australiana no sábado, durante os oitavos-de-final. Carol ainda conseguiu disputar a bateria em que enfrentou a havaiana Malia Manuel, mas a experiência da top 7 do Women's World Tour de 2016 acabou por fazer a diferença.

 

Os 9,93 pontos alcançados por Manuel foram suficientes para superar os 7,84 da surfista da Guincho, que se despediu de prova com importantes 1550 pontos, que a colocam no 14.º posto do ranking do QS feminino. Na liderança do mesmo está a campeã mundial júnior Macy Callaghan, que se tem afirmado como grande candidata a entrar na elite mundial feminina no próximo ano.

 

A vice-liderança do ranking está a cargo de Johanne Defay, fruto do triunfo alcançado em Merewether. A surfista francesa mostrou-se em grande forma ao longo de todo o evento e alcançou um triunfo incontestável. No dia final começou por eliminar a havaiana Zoe McDougall, batendo depois Callhaghan nas meias-finais. Já na final somou 16,73 pontos e levou a melhor frente à neozelandesa e ex-top do WWT Paige Hareb (13,63). Defay mostra assim estar preparada, e de que maneira, para o arranque o circuito mundial feminino.

 

Já a prova masculina foi marcada pelo surpreendente vitória do jovem brasileiro Yago Dora, que ao longo do início da carreira se foi distinguindo como free surfer, mas que agora surge a todo o gás nos principais campeonatos do WQS. Dora usou o seu famoso surf progressivo para levar de vencida a forte concorrência e alcançar a primeira vitória na WSL.

 

O dia final começou com Dora a bater o compatriota Alejo Muniz, numa bateria em que já ensaiava o momento alto que alcançaria na final, depois de uma onda pontuada com 9,5 pontos. Na meia-final teve de suar para bater o australiano Mitch Coleborn, marcando lugar na final com o também compatriota Jesse Mendes, que vinha de um triunfo frente ao jovem californiano Ian Crane.

 

Newcastle assistiu assim a uma final totalmente brasileira. Contudo, não houve muita história para contar, uma vez que Yago Dora tomou o controlo da situação e deixou Jesse em combinação. O ponto alto foi o aéreo que lhe deu uma nota 10, acabando por terminar a final com 18,83 pontos, contra apenas 9,27 do adversário, e 6 mil pontos conquistados para o ranking, onde é agora o líder – o melhor português é Frederico Morais, que após este evento ocupa o 58.º posto.

 

Á ação no WQS segue já esta madrugada de segunda-feira, com o arranque de outro QS6000 australiano. Desta vez, a competição vai acontecer em Manly Beach, Sydney, e a armada lusa vão estar novamente composta. Miguel Blanco, Vasco Ribeiro, Tomás Fernandes, Pedro Henrique e Frederico Morais são os representantes nacionais na prova masculina, enquanto Teresa Bonvalot, Carol Henrique e Camilla Kemp entram na prova feminina.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS