Frederico Morais eliminado em dia de decisões e muito drama em Pipeline

Kikas Pipeline

Kikas encontrou alguns tubos mas esbarrou na astúcia de Seabass. Foto: WSL

 

O Billabong Pipe Masters voltou finalmente à água este domingo, com Backdoor a fornecer alguns tubos divertidos aos melhores surfistas do Mundo. Num dia em que se realizou a 2.ª e 3.ª ronda da última etapa do ano do World Tour vimos Frederico Morais ficar pelo caminho, mas também houve muitas decisões em relação às contas finais da temporada.

 

Kikas não conseguiu levar a melhor frente a Sebastian Zietz na repescagem. Na primeira metade do heat, na qual ainda não tinham prioridade sobre o outro heat que acontecia em simultâneo, o português tomou a vantagem. Mas na segunda metade da bateria o havaiano utilizou o seu "conhecimento de causa" para assegurar o triunfo.

 

O surfista português, que já garantiu a entrada no Tour de 2017, ficou-se assim pelo 25.º posto em Pipeline, deixando boa impressão para a próxima época. Com os 500 pontos somados para o ranking da Triple Crown, Frederico ainda tem hipóteses de conquistar este importante título, embora esteja cada vez mais pressionado.

 

Isto porque John John Florence exibiu-se em grande estilo na 3.ª ronda, batendo o regressado Bede Durbidge. John John avançou facilmente para a 4.ª ronda e, agora, terá duas oportunidades para avançar até aos quartos-de-final. Se o fizer ultrapassará automaticamente Kikas na disputa da Triple Crown. Jordy Smiht também o poderá fazer com esse requisito, mas ainda tem de disputar o seu heat da 3.ª ronda frente ao brasileiro Alex Ribeiro.

 

Quedas e retiradas

 

Com o campeão mundial já encontrado, depois de John John ter sido coroado em Portugal, um dos pontos de interesse deste Pipe Masters é saber quem conseguirá a requalificação para o ano seguinte. E Kanoa Igarashi, já qualificado pelo WQS, fez o favor de manter a dúvida em relação a este aspeto. Tudo começou com o triunfo na 2.ª ronda frente a Keanu Asing, que se tornou no primeiro surfista a vencer um evento (França) e a cair do Tour no mesmo ano.

 

O havaiano Zeke Lau, companheiro de equipa de Igarashi, e 11.º do ranking do WQS, continua assim à espera de uma ajuda "extra". Caso o jovem rookie norte-americano consiga entrar no top 22 do WCT, abre uma vaga pelo WQS. Kanoa conseguiu já avançar para a 4.ª ronda e mantém as contas animadas. Mas Nat Young, que à partida para este evento era o 22.º do ranking, também tem avançando na competição.

 

Dessa forma, o requisito de Kanoa para entrar no cut é agora maior. Mas há que contar com o facto de os brasileiros Miguel Pupo (21.º) e Wiggolly Dantas (20.º) já terem sido eliminados na 3.ª ronda. Se Young avançar mais uma ronda, serão eles os alvos a abater. Com Jeremy Flores em bom plano, as ameaças poderão ser mais. Embora o francês precise de ganhar o evento para fazer dupla qualificação pelos dois rankings, abrindo vaga para Bino Lopes, é bom lembrar que ele já ali ganhou.

 

Quem já disse adeus ao Tour foi Kai Otton. O veterano surfista australiano foi eliminado por Kolohe Andino e aproveitou a "boleia" para anunciar a sua retirada do surf profissional. Com 37 anos acabados de fazer, Otton falou num abandono "forçado", justificado pela saída do Tour. Na memória fica o triunfo alcançado em Peniche, em 2013, naquela que foi a única vitória da carreira no Tour.

 

Rookie do ano é brasileiro

 

Quem já festejou foi Caio Ibelli. O brasileiro sagrou-se o rookie do ano. Mesmo tendo protagonizado uma fraca prestação em Pipeline, onde foi eliminado logo na 2.ª ronda, a derrota do norte-americano Conner Coffin na 3.ª ronda acabou por ditar este desfecho. Ibelli pode agradecer a Kelly Slater. Foi ele quem eliminou Coffin numa das melhores prestações do dia.

 

O brasileiro Filipe Toledo é outro dos destaques do evento até ao momento, tal como Joel Parkinson ou Josh Kerr. Mas há ainda que referir o rookie Ryan Callinan. Apesar de já estar matematicamente afastado da possibilidade de requalificação, o jovem australiano está a dar nas vistas em Pipe, tendo conseguido passar pela primeira vez este ano da 3.ª ronda. Veremos até onde consegue ir na sua despedida da elite.

 

Todas as perguntas que ainda não têm respostas deverão ser desvendadas esta segunda-feira. Apesar de as ondas estarem longe da perfeição, Pipe já deu um ar da sua graça. E será esse cenário que se manterá para o penúltimo dia do período de espera, onde deverá haver tempo suficiente para encontrar o campeão do Pipe Masters de 2016, o elenco definitivo do Tour do próximo ano e, mais importante que tudo, o campeão da Triple Crown havaiana, onde é bom lembrar que o líder ainda é o nosso Frederico Morais.

 

Billabong Pipe Masters Round 2 Results:
Heat 1:
Kolohe Andino (USA) 12.50 def. Gavin Beschen (HAW) 3.60
Heat 2: Adriano de Souza (BRA) 14.67 def. Bruce Irons (HAW) 11.30
Heat 3: Joel Parkinson (AUS) 11.74 def. Finn McGill (HAW) 11.00
Heat 4: Sebastian Zietz (HAW) 12.76 def. Frederico Morais (PRT) 8.17
Heat 5: Bede Durbidge (AUS) 8.29 def. Adrian Buchan (AUS) 5.17
Heat 6: Ryan Callinan (AUS) 12.16 def. Caio Ibelli (BRA) 4.43
Heat 7: Josh Kerr (AUS) 14.50 def. Adam Melling (AUS) 7.00
Heat 8: Kai Otton (AUS) 4.93 def. Stuart Kennedy (AUS) 2.73
Heat 9: Conner Coffin (USA) 15.10 def. Jack Freestone (AUS) 13.93
Heat 10: Wiggolly Dantas (BRA) 5.93 def. Davey Cathels (AUS) 5.90
Heat 11: Nat Young (USA) 11.27 def. Jadson Andre (BRA) 6.00
Heat 12: Keanu Asing (HAW) 10.50 def. Kanoa Igarashi (USA) 8.26

 

Billabong Pipe Masters Round 3 Results:
Heat 1:
Jeremy Flores (FRA) 13.84 def. Matt Wilkinson (AUS) 7.43
Heat 2: Filipe Toledo (BRA) 10.44 def. Wiggolly Dantas (BRA) 4.13
Heat 3: Kolohe Andino (USA) 10.83 def. Kai Otton (AUS) 10.07
Heat 4: Joel Parkinson (AUS) 12.10 def. Miguel Pupo (BRA) 8.74
Heat 5: Michel Bourez (PYF) 12.16 def. Itala Ferreira (BRA) 10.34
Heat 6: John John Florence (HAW) 15.27 def. Bede Durbidge (AUS) 9.94
Heat 7: Ryan Callinan (AUS) 15.34 def. Gabriel Medina (BRA) 11.43
Heat 8: Josh Kerr (AUS) 7.33 def. Sebastian Zietz (HAW) 2.94
Heat 9: Nat Young (USA) 8.00 def. Adriano de Souza (BRA) 3.34
Heat 10: Kanoa Igarashi (USA) 7.50 def. Julian WIlson (AUS) 3.60
Heat 11: Kelly Slater (USA) 15.27 def. Conner Coffin (USA) 15.20

 

Upcoming Billabong Pipe Masters Round 3 Match-Ups:
Heat 12:
Jordy Smith (ZAF) vs. Alex Ribeiro (BRA)

Billabong Pipe Masters Round 4 Match-Ups:
Heat 1:
Kolohe Andino (USA), Filipe Toledo (BRA), Jeremy Flores (FRA)
Heat 2: John John Florence (HAW), Michel Bourez (PYF), Joel Parkinson (AUS)
Heat 3: Ryan Callinan (AUS), Josh Kerr (AUS), Nat Young (USA)
Heat 4: Kanoa Igarashi (USA), Kelly Slater (USA), TBD



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS