J-Bay Open: Uma mão cheia de destaques num arranque com condições perfeitas

31380963 max

Mick abriu um dia de grande espetáculo da melhor forma. Foto: WSL

 

As expectativas eram grandes e a ação não as defraudou. Não, não houve tubarões. Mas houve surf de grande nível. A elite mundial respondeu de forma assertiva a um bom swell que entrou em Jeffreys Bay esta quarta-feira, proporcionando um arranque em grande estilo da sexta etapa do World Tour 2016. Direitas com cerca de 1 metro transformaram-se em condições perfeitas para uma verdadeira lição de rail, pinceladas com uns belos tubos à moda sul-africana.

 

Com condições de todo, confirma-se novamente a tendência para os principais favoritos cumprirem a sua missão. Num palco desta qualidade, os melhores acabam por fazer a diferença. Dessa forma, foram poucas as surpresas ao longo de um dia de competição de sol a sol. Mesmo os top seeds que não conseguiram vencer na estreia, acabaram por se conseguir redimir no início da 2.ª ronda.

 

Entre os maiores destaques do dia está Julian Wilson. O australiano mostrou um ar da sua graça, depois de um arranque de época aos solavancos. Julian explicou a todos os fãs o que é ser um surfista de alta performance, brilhando com um score de 18,77 pontos e surf do mais fino recorte técnico. Sebastian Zietz (17,90), Gabriel Medina (17,27) e Jordy Smith (16,43) foram os outros surfistas a deslumbrarem neste incrível dia inaugural.

 

Regresso especial

 

O dia inaugural do J-Bay Open foi de sangue novo. Os mais experientes não conseguiram alcançar performances tão avassaladoras como a dos surfistas já aqui mencionados, mas também conseguiram avançar diretamente para a 3.ª ronda. Kelly Slater, de lycra azul, conseguiu bater Filipe Toledo na última onda da disputa. Já o campeão mundial Adriano de Souza não sentiu dificuldades frente a Kai Otton e Josh Kerr.

 

Logo a abrir a jornada, foi Mick Fanning quem regressou da melhor forma ao lineup onde no ano passado apanhou o susto do dia. Com a sua habitual linha mecânica e eficaz, o tricampeão mundial esteve a um bom nível, não sentindo dificuldades no duelo com Alejo Muniz e Conner Coffin – já deu um cheirinho do seu incrível carve de frontside, mas terá de fazê-lo ainda melhor na repescagem. Estava assim confirmado o regresso de Fanning a J-Bay, batendo os seus adversários e também os seus fantasmas, mesmo estando lesionado.

 

Na mesma toada aconteceu o triunfo de Italo Ferreira, numa disputa de goofys frente a Miguel Pupo e Ryan Callinan. Tal como Kolohe Andino fez frente a Jadson Andre e Ace Buchan. Uma das maiores surpresas da ronda foi a vitória do rookie Davey Cathels frente a Matt Wilkison e ao wildcard local Steven Sawyer. O backside do líder do ranking não acertou com as direitas de Jeffreys e a repescagem foi o seu destino.

 

Rookies endiabrados

 

No título falámos em uma mão cheia de destaque. Esta mão tem seis dedos. Nesta ronda inaugural foram os rookies Kanoa Igarashi e Caio Ibelli que chegaram mais perto das performances de Julian, Medina, Jordy e Seabass. Kanoa venceu um heat que até começou com uma grande disputa entre os havaianos Keanu Asing e John John Florence. O jovem norte-americano respondeu assim novamente àqueles que achavam que o seu surf ainda não era maduro o suficiente para o Tour.

 

Já Caio Ibelli voltou a estar à imagem de etapas anteriores, somando 15,26 pontos e batendo o australiano Joel Parkinson, experientíssimo e letal em J-Bay, e ainda o cada vez mais aflito Jeremy Flores. No início da época apontámos várias vezes Ibelli como o principal candidato a rookie do ano. Cada vez temos menos dúvidas de que será mesmo o surfista brasileiro a limpar esse prémio.

 

Desforra de favoritos

 

Com condições tão perfeitas, o comissário Kieren Perrow não teve dúvidas em avançar com a 2.ª ronda até onde a luz natural deixasse. Realizaram-se assim quatro dos 12 heats, com os top seeds a não vacilarem. O primeiro deles a entrar em ação foi o número um mundial. Apesar de não se ter encontrado novamente com as ondas, Wilko acabou por sair vencedor de um duelo pobre frente ao wildcard Steven Sawyer, com 8,47 pontos contar 7,93.

 

Mas o espetáculo rapidamente voltou a aumentar de nível. Depois da escorregadela na ronda inaugural, John John Florence voltou com tudo para a água e, mesmo perante a forte réplica inicial do brasileiro Alex Ribeiro, conseguiu explodir e mostrar recortes do seu melhor surf. Na memória ficam os belos carves e laybacks com que desfez as direitas sul-africanas. Não esquecendo a forma como dominou a seção tubular de Supertubes.

 

Como uma mão já não chega para os destaques, temos de recorres à outra. Com um score de 17,27 pontos, John John ganhou o direito de se juntar às melhores exibições do dia. Mesmo que tenha recorrido a uma segunda vida. Tal como fez Filipe Toledo, que se redimiu da derrota para Slater com uma bela exibição frente a Kai Otton. Apesar do equilíbrio, os 16,54 pontos do brasileiro colocaram-no na 3.ª ronda. O dia fechou com um duelo morno, onde Ace Buchan bateu Keanu Asing. O havaiano afirma-se a olhos vistos como um dos principais candidatos a regressar para o WQS no próximo ano.

 

Entretanto, caiu a noite em J-Bay e a ação teve de parar. Um belo dia de surf, a quebrar a monotonia que tem pautado este Tour em muitos momentos desta temporada. Mas alegrem-se porque a ação pode continuar já amanhã. O swell cai, mas mantém algum tamanho. Mas, acima de tudo, o offshore vai continuar nos próximos dias. Logo, o espetáculo também deverá continuar ao mais alto nível...

 

J-Bay Open Round 1 Results:
Heat 1: Mick Fanning (AUS) 13.67, Alejo Muniz (BRA) 10.80, Conner Coffin (USA) 9.97
Heat 2: Italo Ferreira (BRA) 13.33, Miguel Pupo (BRA) 12.06, Ryan Callinan (AUS) 8.43
Heat 3: Kanoa Igarashi (USA) 15.64, John John Florence (HAW) 13.24, Keanu Asing (HAW) 12.60
Heat 4: Adriano de Souza (BRA) 14.76, Kai Otton (AUS) 10.80, Josh Kerr (AUS) 7.00
Heat 5: Gabriel Medina (BRA) 17.27, Dusty Payne (HAW) 12.77, Alex Ribeiro (BRA) 12.27
Heat 6: Davey Cathels (AUS) 11.33, Matt Wilkinson (AUS) 10.33, Steven Sawyer (ZAF) 7.43
Heat 7: Kelly Slater (USA) 12.26, Filipe Toledo (BRA) 12.00, Matt Banting (AUS) 9.43
Heat 8: Kolohe Andino (USA) 14.16, Jadson Andre (BRA) 12.66, Adrian Buchan (AUS) 12.50
Heat 9: Jordy Smith (ZAF) 16.43, Wiggolly Dantas (BRA) 15.10, Adam Melling (AUS) 9.40
Heat 10: Caio Ibelli (BRA) 15.26, Joel Parkinson (AUS) 13.60, Jeremy Flores (FRA) 12.90
Heat 11: Julian Wilson (AUS) 18.77, Jack Freestone (AUS) 10.17, Nat Young (USA) 7.50
Heat 12: Sebastian Zietz (HAW) 17.90, Michel Bourez (PYF) 9.90, Stuart Kennedy (AUS) 9.74

J-Bay Open Round 2 Results:
Heat 1: Matt Wilkinson (AUS) 8.47 def. Steven Sawyer (ZAF) 7.93
Heat 2: John John Florence (HAW) 17.27 def. Alex Ribeiro (BRA) 11.77
Heat 3: Filipe Toledo (BRA) 16.54 def. Kai Otton (AUS) 14.34
Heat 4: Adrian Buchan (AUS) 10.50 def. Keanu Asing (HAW) 3.87

J-Bay Open Round 2 Upcoming Match-Ups:
Heat 5: Michel Bourez (PYF) vs. Ryan Callinan (AUS) 
Heat 6: Nat Young (USA) vs. Alejo Muniz (BRA)
Heat 7: Joel Parkinson (AUS) vs. Matt Banting (AUS) 
Heat 8: Wiggolly Dantas (BRA) vs. Jadson Andre (BRA) 
Heat 9: Conner Coffin (USA) vs. Adam Melling (AUS) 
Heat 10: Miguel Pupo (BRA) vs. Jeremy Flores (FRA)
Heat 11: Josh Kerr (AUS) vs. Jack Freestone (AUS)
Heat 12: Dusty Payne (HAW) vs. Stuart Kennedy (AUS)



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS