Frederico Morais avança para a 3.ª ronda no QS10000 de Ballito

532370330d4251e279ebdd15a8b48540

Tomás Fernandes foi um dos três surfistas nacionais eliminados esta quinta-feira. Foto: WSL

 

Mais um dia dececionante para a armada lusa em Ballito. Esta quinta-feira completou-se a 2.ª ronda do primeiro QS10000 da temporada e os surfistas portugueses voltaram a enfrentar em grande número a eliminação. Apenas escapou Frederico Morais, que passou assim à 3.ª ronda, onde é o único representante nacional.

 

Depois das três eliminações da véspera, mais três eliminações no dia de hoje. Tudo começou com Tomás Fernandes no heat 20. O jovem surfista da Ericeira somou 9,07 pontos e ainda superou o costa-riquenho Noe Mar McGonagle (8,40), mas viu os australianos Davey Cathels (16,77) e Yadin Nicol (10,87) superiorizarem-se rumo à fase seguinte do campeonato sul-africano.

 

Faltava ainda o 24.º e último heat da ronda, onde estavam três portugueses em ação. Era certo que um deles avançaria e que outro iria ser eliminado. Restava esperar que fossem dois a avançar e não dois a cair. Frederico Morais acabou por se destacar da concorrência e somar 11,93 pontos. Mais atrás, a luta pela qualificação estava ao rubro e foi o taitiano Mateia Hiquily (10,16) e revelar-se mais forte, eliminando Marlon Lipke (10,00) e José Ferreira (9,90).

 

Estava confirmado o pior cenário de todos. Numa ronda em que começou com sete representantes, Portugal ficava assim reduzido a apenas um. As esperanças nacionais ficam agora todas sobre as costas de Kikas. Ainda assim, aquele que mais preparado se tem mostrado para atacar os lugares cimeiros do ranking e a qualificação para o World Tour. O atual 16.º posto do ranking do WQS dão garantias de que o campeão nacional poderá levar a bandeira portuguesa mais longe neste evento.

 

Após o final da 2.ª ronda, a competição avançou rapidamente para a 3.ª ronda, onde o surf progressivo tomou conta dos acontecimentos. Com as ondas a colocarem algumas dificuldades aos surfistas, sobretudo por apresentarem pouco potencial para encaixar mais que uma ou duas manobras, - isto após um período matinal com alguns tubos a surgirem - muitos recorreram aos aéreos para brilhar. E os brasileiros (6 qualificados para a 4.ª ronda) e australianos (8) foram exímios nisso.

 

Dos 10 dos 12 heats realizados da 3.ª ronda destaque para a prestação do canarinho Krystian Kymerson (17,77 pontos), mas também do havaiano Zeke Lau (16,10) ou do aussie Ryan Callinan (15,46). Já a grande estrela do campeonato, o sul-africano Jordy Smith, não brilhou tanto mas conseguiu vencer o seu heat rumo à próxima fase. Quem ainda não entrou em ação foi Frederico, que no heat 12 vai enfrentar o brasileiro Luel Felipe, o italiano Leo Fioravanti e o francês Maxime Huscenot.



BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

FOTOGALERIAS